7 dicas para influenciadores digitais na hora de negociar com as marcas – por Leco Vilela

7 dicas para influenciadores digitais na hora de negociar com as marcas – por Leco Vilela

Por Leco Vilela*

Cada dia que passa surgem mais e mais YouTubers, Bloggers, Viners, Snapers. A influência é uma moeda real e a cotação dela está bem melhor que muitas ações por ai.

De qualquer forma as coisas não são fáceis e o trabalho entre influenciador e empresa pode ser bem complicado. E pra tentar ajudar você influenciador lindo do meu “core” que resolvi fazer uma listinha com 7 dicas que podem salvar sua vida na hora de negociar com uma empresa ou agência.

1 – Mídia Kit

Mídia Kit é basicamente, um compilado de dados relevantes e ATUALIZADOS que comprovem a sua influência, tais como: Número de Sessões por mês, Usuários Únicos por mês, Tempo Médio, Páginas/Visualização, Número de Seguidores, Média de Engajamento, Presença Digital e por aí vai. Quanto mais dados melhor, afinal esse é o material que vai dar início a toda a negociação.

2 – Portfólio

Não é todo mundo que tem, principalmente se você está começando, mas todo influenciador deveria ter. Mostrar os resultados de ações com outras empresas é sempre é bom, mostra credibilidade e profissionalismo (Lembre-se essa não é a hora de abrir os números do cliente, um simples “Captou novos clientes” ou “Teve uma experiência positiva junto a audiência” já está de bom tamanho). Esse material pode ir no final do seu Mídia Kit ou estar numa página especifica do seu site, por exemplo.

3 – Negociação

Entraram em contato contigo para fechar um job? Calma! Essa não é a hora de sair correndo de meia pela casa gritando “chupa mundo” – embora dê vontade :p . Essa é a hora em que você precisa, mais do que nunca, manter a calma. Muitos influenciadores tem dificuldade de dar um valor para esse tipo de projeto e isso é bem compreensivo, então cabe aqui o bom senso, se você não é a Kim Kardashian, não cobre o olho da cara. Seja consciente com a sua experiência e sua audiência, não estou falando de quantidade já que existem muitos influenciadores de nicho que cobram muito bem para alguns projetos. DICA: Deixe sempre claro que o seu valor é Líquido, caso contrário você não vai ganhar o valor que você indicou, isso porque, em caso de agências, é um hábito trabalhar com negociação bruto, em que é descontado 20% do valor indicador como comissão para a agência.

4 – Criação

Você conquistou a sua audiência? Essa audiência é fiel ao seu conteúdo? Se a resposta é sim para as duas perguntas então não tem nem o que dizer, né? Você manja dos paranauês de como conversar com essa galera, logo a criação é sua, mas sempre é bom dar espaço para o cliente validar o seu trabalho.

5 – Limite

Embora seja uma boa dar espaço pro cliente validar o seu trabalho, limite é algo muito importante. Até por que as pessoas tendem a avaliar as produções por gostos pessoais se esquecendo que na maioria das vezes elas não são o targeting (alvo) da criação. Logo, defender o seu trabalho é mais do que válido, assim como estipular um número máximo de refação ou ainda dizer não pro job. Sério… Tá liberado mesmo!

6 – Entrega

O trabalho saiu, tá no ar, e o período da campanha já terminou. Está na hora de consolidar todos esses dados num relatório. Mas por que relatório Leco? Porque o seu cliente, seja ele empresa final ou agência, vai precisar desses dados pra defender o projeto e mostrar que ele deu certo. Inclusive você pode alinhar com seu cliente quais os dados mais interessantes pra ele na hora de iniciar o projeto, assim já até agiliza as coisas.

7 – Relacionamento

Essa é a parte mais importante de todas, um bom relacionamento garante constância nos trabalhos e rende uma boa indicação. Não vai achando que só você é influente, ok? Então profissionalismo, pontualidade e transparência são ótimas qualidades para um relacionamento entre influenciadores e empresas.

Achou que faltou alguma coisa ou tem alguma dúvida? Então comenta aqui em baixo pra gente poder conversar!

 

leco_vilelaLeco Vilela é Graduado em Jornalismo pela Universidade Paulista, trabalha com marketing digital desde 2009. Cursa Pós Graduação em Comunicação e Marketing Estratégico e trabalha como Media Manager na startup Umbler. Participou de grandes projetos como VMB 2012, Sonar SP 2012, Bontempo na Semana de Design de Milão, etc. Trabalhou nos lançamentos de diversos filmes e games para a Warner Bros Brasil e é curador do Festival Clipes e Bandas. Ganhou o prêmio Top of Mídia 2015 – Melhor Case de Mídia Digital, com a campanha “O Roubo do Battlefield”.

Anterior Peça "Três Dias de Chuva", dirigida por de Jô Soares, chega a Porto Alegre neste mês
Próxima Descubra e surpreenda-se com Santiago do Chile | Garfo e Mala

Pin It on Pinterest

Share This